Primeiras impressões do ReactOS 0.3.9 – Media Player, ReactX e muito mais!


Primeiramente tenho que deixar claro que tive dois momentos ao testar a nova versão do ReactOS, o primeiro foi antes do feriado ao baixar a versão Live CD e constatar que não haviam mudanças em relação a versão Trunk Build 40257 testada pelo blog à algumas semanas atrás (leia aqui), e a segunda ao retornar do feriadão e baixar a versão de instalação do ReactOS 0.3.9 e constatar pela primeira vez que a versão Live CD não correspondia em recursos à versão de instalação; fui da frustração à euforia porque a nova versão 0.3.9 trás diversos novos recursos há muito esperados pelos usuários do ReactOS, mesmo que não estejam ainda acabados. A implementação de um recurso similar ao DirectX, chamado de ReactX, já está presente e apesar de não estar completo parece ser responsável por já ser possível rodar vídeo no ReactOS – ao menos a proteção de tela ao estilo Matrix que é disponibilizado está funcionando corretamente, exibindo a animação correspondente.

O ReactX já está disponível por padrão nesta nova versão do ReactOS.

No ReactX tudo é feito para ser muito semelhante ao que temos no DirectX, mas chega a ser estranho perceber que o mesmo já esta na versão 9.0C, como mostra a imagem...

A proteção de tela ao estilo Matrix agora funciona de verdade.

Dos novos recursos disponibilizados na versão 0.3.9 do ReactOS, temos também um Media Player, chamado de ‘Multimedia Player’.

Foi incorporado ao ReactOS um media player, mas para que o mesmo funcione temos que testar a compatibilidade do sistema com placas de som, o que será feito em um segundo momento.

Um atalho para o ‘msconfig’ foi criado no menu do sistema.

Esta funcionalidade nem o Windows tem. Agora você pode editar as configurações do sistema acessando o recurso por um atalho no menu principal.

O gerenciador de controladores de jogos já aparece com algumas opções concluídas – antes tínhamos apenas o ícone no painel de controle do sistema.

Com os controladores de jogos concluídos, mais um passo terá sido dado para se poder rodar jogos feitos para o Windows no ReactOS.

As janelas do recurso de controladores de jogos avançaram bastante nesta nova versão.

As conexões de rede também parecem estar concluídas visto que todas as janelas similares às que temos no Windows estão prontas.

Ao acessar a opção de rede no menu do sistema, não recebemos mais a mensagem de que o recurso ainda não esta implementado, como na versão anterior...

...e todas as janelas necessárias para que o recurso funcione parecem já estar prontas.

O recurso de adicionar e remover programas em duplicidade percebido durante o teste da versão Trunk Build 40257 foi eliminado (mas a versão Live CD ainda apresenta os dois) e restou o novo sistema, que ao que parece disponibilizará no futuro uma forma de instalação de programas online, similar ao que fazem as distribuições Linux ou os sistemas de smartphones.

Ao contrario do teste com a versão Trunk Build 40257 onde tínhamos 2 recursos para adicionar e remover programas, nesta nova versão somente o mais novo prevaleceu - na versão Live CD ainda estão presente as duas ferramentas.

Será que no futuro poderemos instalar programas no ReactOS como nas distribuições Linux? Será que teremos uma App Store do ReactOS como a App Store do iPhone?

O recurso de opções de pastas foram implementados e há a opção de usar as ‘pastas clássicas do ReactOS’, o que pode indicar uma mudança futura na interface do sistema, visto que hoje só a aparência clássica ao estilo Windows 98 está disponível.

Foi implementada nesta versão a opção de configuração de pastas do sistema.

Como dois leitores que me escreveram observaram bem, todas estas novas implementações trouxeram juntas consigo um maior consumo de memória do sistema, e se antes da versão 0.3.9 o ReactOS consumia sozinho apenas 56MB de memória RAM, agora o sistema já está consumindo perto de 100MB.

Com as novas implementações o ReactOS agora passa a consumir sozinho 96MB de memoria RAM.

Conclusão

Muitos dos novos recursos descritos nestas primeiras impressões com a nova versão 0.3.9 do ReactOS precisam ser checados quanto à sua funcionalidade, o que será feito no decorrer do tempo ao iniciarmos os testes corriqueiros com esta nova versão.

Para aqueles leitores que baixaram a versão Live CD e se decepcionaram, recomendo baixar a versão de instalação e instalar em um computador ou em uma máquina virtual para verem por si mesmos os novos recursos implementados.

Anúncios

3 thoughts on “Primeiras impressões do ReactOS 0.3.9 – Media Player, ReactX e muito mais!

  1. Pingback: Resenha do React OS 0.3.9 « Meu Mundo Livre

  2. eu acho que esse sistema esta caminhando a um patamar de fracasso
    acabei de testar aque na vm e ele nem estalou sendo que lendo que ele jah esta consumindo 100mb

  3. Eu já penso o contrário, este sistema esta seguindo o caminho certo, o mesmo caminho que seguiu o FreeDos, contudo creio que seria melhor investir na compatibilidade de API do sistema do que em programas end user, gostei muito da idéia do ReactX.

    Assim ao invés de fazerem um paint, um multimidia player, deve-se sim fazer rodar o VLC, o MPlayer e outros programas utilizando o conceito de compatibilidade de API que nem de longe é fácil.

    Mas pelo caráter do projeto em si, esses detalhes descritos por mim acima são realmente insignificantes.

    Mas agora imagino o inferno que deve ser fazer a engenharia reversa da API do Windows, já que o próprio pessoal do Wine admitiu que a API do Windows é um verdadeiro macarrão sem sentido, e considerando os diferentes níveis de aplicações que temos por ai acaba sendo impossível determinar uma interface de comunicação para isso, ainda mais se formos considerar os produtos da própria Microsoft que usa de recursos mais baixos e específicos da API deles mesmos (por essas e outras razões que aplicações Microsoft rodam melhores que aplicações de terceiros, o que para mim isso é injusto).

Os comentários estão desativados.